Dossiê 8 - Cemitérios: arte, sociedade e cultura

Autores

  • Maria Elízia Borges Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Marcelina das Graças de Almeida Escola de Design. Universidade do Estado de Minas Gerais,

DOI:

https://doi.org/10.9789/2525-3050.2019.v4i8.225-228

Resumo

Partindo do trecho da epígrafe acima, que destaca a acuidade da cidade dos mortos, propomos um dossiê que tenha os cemitérios como eixo transversal de algumas das recentes pesquisas no campo da morte e do morrer. Não podemos deixar de mencionar o quanto é imperativo mencionar, logo de início, o clássico livro Arte e Sociedade nos cemitérios brasileiros (1972), do sociólogo Clarival do Prado Valladares (1918- 1983). A obra é resultante da longa pesquisa realizada, entre os anos de 1960 e 1970, na qual apresentou um complexo, difuso e multifacetado cenário dos cemitérios brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Elízia Borges, Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutora em Artes pela Universidade de São Paulo (USP). Professora da Pós-Graduação de História da Universidade Federal de Goiás. Membro da Red Iberoamericana de Cementerios Patrimoniales, da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais (ABEC) e do Grupo de Pesquisa Imagens da Morte (UNIRIO/CNPQ). CV: http://lattes.cnpq.br/0672444382021221

Marcelina das Graças de Almeida, Escola de Design. Universidade do Estado de Minas Gerais,

Doutora em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil. Professora dos cursos de graduação e pós-graduação da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais. Coordenadora do ASI - Arquivo de Som e Imagem, situado no Centro de Estudos em Design da Imagem da Escola de Design, UEMG. CV: http://lattes.cnpq.br/6813138729924319

Referências

BASTIANELLO, Elaine Maria Tonini. A memória retida na pedra. A história de Bagé inscrita nos monumentos funerários (1858-1950). Santa Maria: Pallotti, 2016. 224p.

BATISTA, Henrique Sérgio de Araújo. Jardim regado com lágrimas de saudade. Morte e cultura visual na venerável ordem terceira dos mínimos de São Francisco de Paula (século XIX). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011. 223p.

BORGES, Maria Elizia et al (Orgs.). Estudos Cemiteriais no Brasil. Catálogo de Livros, Teses, Dissertações e Artigos. Goiânia: UFG/FAV/Ciar/FUNAPE, 2010. 128p.

DILLMANN, Mauro. Morte e práticas fúnebres na secularizada República. Porto Alegre, início do século XX. São Paulo: Paco Editorial, 2016. 428p.

GRASSI, Clarissa. Guia de Visitação ao Cemitério Municipal São Francisco de Paula: arte e memória no espaço urbano. Curitiba: Edição do Autor, 2014. 304p.

MOTTA, Antônio. À flor da pedra. Formas tumulares e processos sociais nos cemitérios brasileiros. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Massangana, 2009. 202p.

MUMFORD, Lewis. A Cidade na História. Suas origens, suas transformações, suas perspectivas. Tradução Neil R. da Silva. Belo Horizonte: Editora Itatiaia Ltda, 1965. 741p.

VALLADARES, Clarival do Prado. Arte e sociedade nos cemitérios brasileiros. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Cultura-MEC, 1972. 02 volumes, 1487p.

ZANOTTO, Gizele e MIRANDA, Fernando (Orgs.). A Morte Não é o Fim: Culturas e. Identidades no Cemitério Vera Cruz. Passo Fundo: Projeto Passo Fundo, 2018. 292p.

Downloads

Publicado

2020-01-29

Como Citar

Borges, M. E., & Almeida, M. das G. de. (2020). Dossiê 8 - Cemitérios: arte, sociedade e cultura. Revista M. Estudos Sobre a Morte, Os Mortos E O Morrer, 4(8), 225–228. https://doi.org/10.9789/2525-3050.2019.v4i8.225-228