Grundgestalt como concepção composicional

Desirée Johanna Mayr

Resumo


O conteúdo deste artigo integra o capítulo de fundamentação teórica de uma pesquisa de doutorado em Música em andamento dedicada ao exame da derivação das estruturas temáticas das sonatas para violino op.14 de Leopoldo Miguéz e op.78 de Johannes Brahms. Partindo de um trabalho precedente (MAYR, 2015), que comparou 22 definições e comentários diversos sobre o princípio de Grundgestalt, elaborado por Arnold Schoenberg, este estudo investiga suas origens, propondo a hipótese de que o conceito estava solidamente estabelecido na mente do compositor (sendo aplicado de maneira consciente e precisa) vários anos antes de ser formulado teoricamente pela primeira vez. Para demonstrar tal assertiva são examinadas as relações de derivação entre a Grundgestalt e os principais temas da Primeira Sinfonia de Câmara op.9, uma das obras mais representativas da fase tonal de Schoenberg, composta em 1906.

Texto completo:

PDF