Sedação paliativa em fim de vida: debates em torno das prescrições médicas

Rachel Aisengart Menezes, Carolina Peres de Lima

Resumo


Os debates sobre as decisões de fim da vida são frequentes, no âmbito médico e na sociedade em geral. Os Cuidados Paliativos objetivam propiciar “qualidade de vida” ao enfermo, para produzir uma boa morte. Pautada neste ideário, a sedação paliativa é uma opção para alcançar tal meta. Este artigo se baseia em pesquisa documental em manuais para profissionais paliativistas e artigos científicos, que analisou as prescrições da sedação paliativa. A sedação é a administração de medicamentos em doses que reduzem o nível de consciência do enfermo, para alívio dos sintomas. O estudo evidenciou a valorização de um processo decisório compartilhado, com participação do doente, familiares e equipe médica. Esta dinâmica é complexa e passível de gerar conflitos, principalmente quando se trata da utilização de sedação paliativa para amenizar o sofrimento psicológico, devido à dificuldade de avaliação e por ultrapassar os limites do saber e da prática médica.

Palavras-chave


Cuidados paliativos – Sedação paliativa – Qualidade de vida – Decisões médicas – Sofrimento no final da vida

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, Juan Pedro. Cuidados Paliativos: entre la humanización y la medicalización del final de la vida. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 18, n. 9, p. 2541-2548, 2013.

ANNESER, Johanna et al. Physician-assisted suicide, euthanasia and palliative sedation: attitudes and knowledge of medical students. GMS Journal for Medical Education. On-line, v. 33, n. 1, p. 1-6, 2016.

BABARRO, Alberto Alonso y BUENO, Julia Fernández. Sedación Paliativa. FMC- Formación Médica Continuada en Atención Primaria. Barcelona, v. 15, n. 10, p. 281-290, 2008.

BARBOSA, Patrícia de Castro. Cuidados Paliativos em Pediatria: a construção da “boa morte” da criança. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Instituto de Estudos em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013. 138f.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, p. 295-316, 2012.

GIROND, Juliana Balbinot Reis e WATERKEMPER, Roberta. Sedação, eutanásia e o processo de morrer do paciente com câncer em Cuidados Paliativos: compreendendo conceitos e inter- relações. Cogitare Enfermagem. Curitiba, v. 11, n. 3, p. 258-263, 2006.

HOWARTH, Glennys & LEAMAN, Oliver (Eds.). Encyclopedia of death and dying. Londres: Routledge, 2001. 560p.

LEBOUL, Danièle et al. Palliative sedation challeging the professional competency of health care providers and staff: a quantitative focus group and personal written narrative study. BMC Palliative Care. London, v. 16, n. 25, p. 1-12, 2017.

MENEZES, Rachel Aisengart. Em busca da “boa morte”: uma investigação socioantropológica sobre Cuidados Paliativos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004. 255p.

MENEZES, Rachel Aisengart e VENTURA, Miriam. Ortotanásia, sofrimento e dignidade: entre valores morais, medicina e direito. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, v. 28, n. 91, p. 213-229, 2013.

NOGUEIRA, Fabíola Leite e SAKATA, Rioko Kimiko. Sedação Paliativa do Paciente Terminal. Revista Brasileira de Anestesiologia. Rio de Janeiro, v. 62, n. 4, p. 580-592, 2012.

RAUS, Kasper et al. Is continuous sedation at the end of life an ethically preferable alternative to physician-assisted suicide? The American Journal of Bioethics. Philadelphia, v. 11, n. 6, p. 32-40, 2011.

RAUS, Kasper et al. Factors that facilitate or constrain the use of continuous sedation at the end of life by physicians and nurses in Belgium: results from a focus group study. Journal of Medical Ethics. London, v. 40, p. 230-234, 2014.

RICH, Ben A. Terminal suffering and the ethics of palliative sedation. Cambridge Quarterly of Healthcare Ethics. Cambridge, v. 21, p. 30-39, 2012.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de e GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais. Santa Vitória do Palmar, v. 1, n. 1, p. 1-15, 2009.

TABLADA, Ricardo Hodelín. El principio del doble efecto en la sedación a pacientes terminales. Medisan. Cuba, v. 16, n. 6, p. 949-959, 2012.

THE ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT. The 2010 Quality of Death Index: Ranking palliative care across the world. Singapore: Lien Foundation, 2010. 39p. Disponível em: . Acesso em 07/12/2018.

THE ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT. The 2015 Quality of Death Index: Ranking palliative care across the world. Singapore: Lien Foundation, 2015. 71p. Disponível em: . Acesso em 07/12/2018.

VICTORA, Ceres Gomes; KNAUTH, Daniela Riva e HASSEN, Maria de Nazareth Agra. Pesquisa qualitativa em saúde: uma introdução ao tema. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2000. 133p.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2525-3050.2018.v3i6.405-420

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons