Plum Analytics

Efetividade do desfibrilador externo automático no suporte básico e avançado de vida intra-hospitalar: revisão sistemática e meta-análise - Effectiveness of the automatic external defibrillator on the basic and advanced support of intrahospital life: systematic review and meta-analysis

Norival Santolin Oliveira, Thiago Quinelato Louro, Daniel Aragão Machado, Luiz Carlos Santiago, Carlos Roberto Lyra da Silva, Roberto Carlos Lyra da Silva

Resumo


Objetivo: avaliar a efetividade do desfibrilador externo automático no suporte avançado de vida na parada cardiorrespiratória hospitalar. Método: Revisão sistemática e meta-análise. Foram incluídos estudos em texto completo em inglês, português e espanhol, nos últimos 10 anos. Resultados: 03 estudos foram incluídos na meta-análise. O uso do desfibrilador externo automático foi associado a um risco relativo de retorno espontâneo da circulação sanguínea e de morte de  1.01 (IC 95% 0.89-1.14) e 1.06 (IC 95% 0.99-1.15) respectivamente.  Conclusão: O uso do desfibrilador externo automático não foi associado à melhora da sobrevida na parada cardiorrespiratória e ambiente hospitalar.


Palavras-chave


Desfibriladores; Parada cardiorrespiratória; Efetividade

Texto completo:

PDF-PT

Referências


- AMERICAN HEART ASSOCIATION. Destaques da American Heart Association. Atualização das Diretrizes de RCP e ACE 2015. Disponível em: < https://eccguidelines.heart.org/wp-content/uploads/2015/10/2015-AHA-Guidelines-Highlights-Portuguese.pdf>. Acesso em: 29 abr. de 2018.BRASIL.

- MOURA, L. T. R. et al. Assistência ao paciente em Parada cardiorrespiratória em Unidade de Terapia Intensiva. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 2012. Disponível em: . Acessado em: 05 mai. de 2018.

- SILVA, A. B. Elaboração de guia teórico de atendimento em parada cardiorrespiratória para enfermeiros. Rev Rene. Natal-RN, v.14, n.4, p. 1014-1021, 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. de 2018.

- SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA (SBC). I Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. São Paulo, 2013. Disponível em: < www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2013003600001>. Acesso em; 04 abr. de 2018.

- PEREIRA, F. R. Enciclomédica: A enciclopédia sobre equipamentos médicos, 2015. Disponível em: < www.enciclomedica.com.br/desfibrilador-cardioversor/>. Acesso em: 01 abr. de 2018.

- SILVA, R. M. F. L. et al. Ressuscitação cardiopulmonar de adultos com parada cardíaca intra-hospitalar utilizando o estilo Utstein. Rev. bras. ter. intensiva vol.28 no.4 São Paulo Oct./Dec. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. de 2018.

- GONZALEZ, M. M. et al. I Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2013. Disponível em: < www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2013003600001>. Acesso em: 30 abr. de 2018.

- CHAN, P. S. et al. Automated External Defibrillators and Survival After In-Hospital Cardiac Arrest 2010. Disponível em: . Acesso em 04 ago. 2018.

- ALVES, C. A. et al. Parada cardiorrespiratória e enfermagem: o conhecimento acerca do suporte básico de vida. Libertas Faculdades Integradas São Sebastião do Paraíso, Minas Gerais, 2013. Disponível em: < https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/download/32579/20693>. Acesso em: 04 mai de 2018.

- LUZIA, M. F.; LUCENA, A. F. Parada cardiorrespiratória do paciente adulto no âmbito intra-hospitalar: subsídios para a enfermagem. Rev Gaúcha Enferm., v. 30, n. 2, p. 328-337, 2009. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/107527/319032.pdf?>. Acesso em: 26 de abr. de 2018.

- MONTELEONE, P. P. Electrical therapies in cardiac arrest. Emerg. Med. Clin. North Am. 2012. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/rlae/v22n4/pt_0104-1169-rlae-22-04-00562.pdf>. Acesso em: 26 de abr. de 2018.

- MIYADAHIRA, A. M. K. et al. Ressuscitação cardiopulmonar com a utilização do desfibrilador externo semi-automático: avaliação do processo ensino-aprendizagem. Rev. esc. enferm. USP, 2008, vol.42, n.3, pp.532-538. . Acesso em: 30 abr. de 2018.

- COREN-SP. Ementa: Cardioversão, Desfibrilação e uso do DEA. Parecer: 26/2013 – ct prci n° 100.501 e ticket n° 277.654, 284.557, 287.513, 290.344, 295.869. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. de 2018.

- BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Abordagem de Vigilância Sanitária de Produtos para Saúde Comercializados no Brasil: Desfibrilador Externo. Boletim Informativo de Tecnovigilância. Brasília, n. 1, Jan./Mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. de 2018.

- CLARK, C. B. et al. Transthoracic biphasic waveform defibrillation at very high and very low energies: a comparison with monophasic waveforms in an animal model of ventricular fibrillation, 2002. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. de 2018.

- COFEN. Utilização pela Enfermagem do DEA – Desfibrilador Externo Automático. Parecer Normativo nº 002/2017. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. de 2018.

- ECRI INSTITUTE. “The Importance of Early Defibrillation” Health Devices, 1993. Disponível em: . Acesso em 01 mai. de 2018.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes metodológicas: elaboração de revisão sistemática e metanálise de ensaios clínicos randomizados. Brasília; 2012. Disponível em: < bvsms.saude.gov.br/bvs/.../diretrizes_metodologicas_fatores_risco_prognostico.pdf>. Acesso em: 03 mai. de 2018.

- MOHER et al. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. 2009. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19621072>. Acesso em 04 ago. de 2018.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes Metodológicas. Sistema GRADE – manual de graduação da qualidade da evidência e força de recomendação para tomada de decisão em saúde, 2014. Disponível em: < bvsms.saude.gov.br/bvs/ct/PDF/diretriz_do_grade.pdf>. Acesso em: 07 mai. de 2018.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes metodológicas: Elaboração de Estudos para Avaliação de Equipamentos médico-assistenciais. Brasília; 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 mai de 2018.

- RODRIGUES, C. L.; ZIEGELMANN, P. K. Metanálise: um guia prático. Revista Hospital de Clínicas Porto Alegre, Vol 30, nº 4, 2010. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. de 2018.

- GUIMARÃES, H. P. Registro Brasileiro de ressuscitação cardiopulmonar intra-hospitalar: Fatores prognósticos de sobrevivência pós- ressuscitação. São Paulo, 2011. Disponível em: < www.teses.usp.br/teses/disponiveis/98/98131/tde-15092011-100600/en.php>. Acesso em: 29 abr. de 2018.

- PEMBECI, K. et al. Assessment of the success of cardiopulmonary resuscitation attempts performed in a Turkish university hospital, 2006. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16439311>. Acesso em: 08 ago. de 2018.

- GIROTRA, S. et al. Trends in Survival after In-Hospital Cardiac Arrest, 2012. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. de 2018.

- SMITH, R. J. Automated external defibrillators and in-hospital cardiac arrest: Patient survival and device performance at an Australian teaching hospital 2011. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. de 2018.

- FORCINA, M. S. et al. Cardiac arrest survival after implementation of automated external defibrillator technology in the in-hospital setting 2009. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19326574>. Acesso em: 04 ago. 2018.

- MORRISON, L. J. et al. Strategies for improving survival after in-hospital cardiac arrest in the United States. Consensus Recommendations: A consensus statement from the American Heart Association. Circulation 2013. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23479672 >. Acesso em: 26 jul. de 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2675-4932.rectis.v1.10430 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Norival Santolin Oliveira, Thiago Quinelato Louro, Daniel Aragão Machado, Luiz Carlos Santiago, Carlos Roberto Lyra da Silva, Roberto Carlos Lyra da Silva

URL da licensa: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/

SCImago Institutions Rankings