A Dualidade do Imaginário, Entre Eros e Tânatos

Julio Cesar Lemes de Castro

Resumo


Este artigo discute a ligação entre a ambiguidade do imaginário e a dualidade da pulsão em Lacan. A relação da criança com a imagem especular e com seus semelhantes oscila entre a identificação e a rivalidade. A articulação entre o imaginário e a pulsão envolve igualmente duas possibilidades: o imaginário ajuda a canalizar a libido para seus objetos, servindo à pulsão de vida (Eros), e assume aspectos rígidos e agressivos, servindo à pulsão de morte (Tânatos). Isso ocorre porque identificação e rivalidade ecoam no imaginário o dualismo freudiano da pulsão, endossado por Lacan

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9789/1679-9887.2012.v10i1.%25p

Direitos autorais 2019 Psicanálise & Barroco em Revista