ENTRE A SOBREVIVÊNCIA E A SUBSERVIÊNCIA: O DESMANCHE DAS PRÁTICAS DE COACHING

Autores

  • Guilherme Henrique Lima Barati
  • José Roberto Montes Heloani

DOI:

https://doi.org/10.9789/1679-9887.2017.v15i2.%25p

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar as contradições nas práticas de coaching. Constitui-se com base nos significantes tecidos pelos Coaches em entrevistas não estruturadas. Tem como referência o quadro teórico metodológico da Psicanálise lacaniana. Estabelece interlocução com autores da Psicologia Social e das Ciências Sociais de orientação marxista. Há na esfera do real algumas brechas, fendas, arranhões que deformam a imagem e colocam em xeque as referências identificatórias do que é ser bem-sucedido. Surgem aspectos pessoais e singulares que disparam processos deformadores bem como desidentificações. O mal-estar e o sofrimento são referências da emergência do sujeito e de suas rupturas. Práticas conservadoras trazem contradições e possibilidades de deformação, e desmanche.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-03-17

Como Citar

Lima Barati, G. H., & Montes Heloani, J. R. (2018). ENTRE A SOBREVIVÊNCIA E A SUBSERVIÊNCIA: O DESMANCHE DAS PRÁTICAS DE COACHING. Psicanálise &Amp; Barroco Em Revista, 15(2), 86–115. https://doi.org/10.9789/1679-9887.2017.v15i2.%p

Edição

Seção

Artigos