Redes de Sensores sem Fio Aplicadas à Fisioterapia: Implementação e Validação de um Sistema de Monitoramento de Amplitude de Movimento

Autores

  • Renan Cerqueira Afonso Alves Universidade de São Paulo
  • Cíntia B. Margi Universidade de São Paulo
  • Fabíola C. L. dos Santos Universidade de São Paulo
  • Bruno T. de Oliveira Universidade de São Paulo

Resumo

A amplitude de movimento é um parâmetro importante utilizado na avaliação e durante o tratamento fisioterapêutico. Sistemas disponíveis e utilizados atualmente possuem atuação limitada. A principal contribuição deste trabalho é a especificação, implementação e validação de um sistema de monitoramento, em tempo real, de ângulos articulares baseado em redes de sensores sem fio: FlexMeter. Os nós sensores utilizam acelerômetros para obter as informações de ângulos articulares, e a rede sem fio dá mobilidade ao paciente e ao fisioterapeuta. A validação do sistema incluiu três etapas: validação das medidas com os sensores, validação de usabilidade, e validação de medidas em articulação de joelho. Os resultados da validação demonstraram como o uso do sistema pode facilitar o trabalho do fisioterapeuta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Cerqueira Afonso Alves, Universidade de São Paulo

Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais

Cíntia B. Margi, Universidade de São Paulo

Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais

Fabíola C. L. dos Santos, Universidade de São Paulo

Faculdade de Medicina

Bruno T. de Oliveira, Universidade de São Paulo

Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais

Downloads

Publicado

2013-04-29

Como Citar

Alves, R. C. A., Margi, C. B., dos Santos, F. C. L., & de Oliveira, B. T. (2013). Redes de Sensores sem Fio Aplicadas à Fisioterapia: Implementação e Validação de um Sistema de Monitoramento de Amplitude de Movimento. ISys - Brazilian Journal of Information Systems, 5(1). Recuperado de http://www.seer.unirio.br/isys/article/view/2183

Edição

Seção

ARTIGOS REGULARES