Informação para Autores

ATUALIZADO EM 10 DE DEZEMBRO DE 2019

ANTES DE INICIAR A SUBMISSÃO DE SEU MANUSCRITO, LEIA COM BASTANTE ATENÇÃO AS ORIENTAÇÕES CONTIDAS NO TEXTO E NOS LINKS, POIS, SUA SUBMISSÃO PODERÁ SER SUMARIAMENTE ARQUIVADA CASO NÃO ESTEJA EM CONFORMIDADE COM AS NORMAS DA RPCFO.

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PODE LEVAR ATÉ 6 MESES PARA QUE O PARECER DOS AVALIADORES SEJA EMITIDO.

Diretrizes para Autores

A Revista de Pesquisa: Cuidado é fundamental On Line [RPCFO] foi transferida para o formato eletrônico (SEER) em maio de 2009, sem fins lucrativos. Atualmente é editada pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF)- Mestrado e Doutorado em Enfermagem, da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro [UNIRIO], com periodicidade em FLUXO CONTÍNUO, compondo-se de um volume por ano. Está classificada no QUALIS/CAPES como B2.

Quando da submissão dos manuscritos, em METADADOS DA SUBMISSÃO devem constar todos os AUTORES que por ventura estejam mencionados como << AUTOR >> no corpo do texto. O encaminhamento do manuscrito, anexos e o preenchimento de todos os dados, são de inteira responsabilidade do autor que está submetendo o manuscrito e não do Editor.

A inclusão dos Registros ORCID nos Metadados da Submissão é OBRIGATÓRIA, bem como o RESUMO em PORTUGUÊS e as REFERÊNCIAS. Caso contrário, a submissão PODER SUMARIAMENTE arquivada.

Todos os manuscritos são previamente apreciados pelo Editor no que se refere à adequação às Normas da RPCFO de FORMATAÇÃO e ESTRUTURA e, se considerados adequados, serão encaminhados para os consultores Ad hoc, de reconhecida competência na temática abordada. Em caso de desacordo, será enviado para uma segunda avaliação. No caso da identificação de conflito de interesse por parte dos consultores, será encaminhado para outro consultor.

FORMATAÇÃO GERAL DO MANUSCRITO

 

FORMATO: “.doc”

 

FOLHA: Tamanho A4;

 

MARGENS: 2,5 cm nas quatro margens;

 

FONTE: Trebuchet MS; fonte 11 (incluindo tabelas e referências). Para citação direta com mais de 3 linhas, utilizar fonte 10.

 

ITÁLICO: Somente para palavras ou expressões em idioma diferente do qual o manuscrito foi redigido ou em transliteração de depoimentos.

 

NOTAS DE RODAPÉ: a partir da segunda página, usar os seguintes símbolos e nesta sequência: †,‡,§,††,‡‡, §§, †††, etc.

 

ESPAÇAMENTO: Duplo no decorrer do manuscrito, inclusive no resumo e referências.

 

Simples para título, descritores, citação direta com mais de três linhas e em transliteração de depoimento.

 

LIMITE DE PALAVRAS CONFORME CATEGORIA DE ARTIGO (incluindo referências):

 

 1. Editorial – Limite máximo de 1.600 palavras;

 

 2. Artigos originais – Limite máximo 4500 palavras;

 

 3. Revisão – Limite máximo de 5000 palavras;

 

 ANÁLISE DE PLÁGIO

 

A partir de Janeiro de 2021, uma nova etapa será inserida no processo de revisão dos manuscritos. Um software irá avaliar a questão de plágio, tendo os seguintes resultados:

 

– Até 25% de plágio – será enviada uma carta aos autores, contendo orientações e recomendações;

 

– Mais de 50% de plágio – será realizada a captação dos autores e da instituição, sendo cumpridas as questões e deveres éticos em relação aos trabalhos científicos.

 

ESTRUTURA DO MANUSCRITO

 

1. Título (Português,Inglês, Espanhol). Tudo em caixa ALTA.

 

2. Resumo (nos 3 idiomas do título). Após : usar letra minpuscula.

 

3. Descritores (nos 3 idiomas do título). De acordo com o DECS. http://decs.bvs.br/

 

4. Introdução

 

5. Método

 

6. Resultados

 

7. Discussão

 

8. Considerações finais/conclusão

 

9. Referências

 

OBS: AGRADECIMENTOS, APOIO FINANCEIRO OU TÉCNICO, DECLARAÇÃO DE CONFLITO DE INTERESSE FINANCEIRO E/OU DE AFILIAÇÕES:

 

 

 

É responsabilidade dos autores as informações e autorizações relativas aos itens mencionados acima;

 

Deverá contar em uma nova seção, logo após a conclusão. Citar o número do edital ao qual a pesquisa está vinculada.

 

 

 

FORMATAÇÃO DA ESTRUTURA DO MANUSCRITO

 

O manuscrito não poderá ter a identificação dos autores, esta identificação deverá estar somente na página de identificação.

 

As palavras “RESUMO”, “DESCRITORES”, “INTRODUÇÃO”, “MÉTODO”, “RESULTADOS”, “DISCUSSÃO”, “CONSIDERAÇÕES FINAIS/CONCLUSÃO”, “REFERÊNCIAS” e demais que iniciam as seções do corpo do manuscrito devem ser digitadas em CAIXA ALTA, NEGRITO E ALINHADAS À ESQUERDA.

 

TÍTULO

 

Deve aparecer nos 3 idiomas do Resumo;

 

Tem limite de 16 palavras;

 

CAIXA ALTA, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES E CENTRALIZADO.

 

RESUMO

 

Incluir, de forma estruturada, informações de acordo com a categoria do artigo. Inclui: objetivo, método, resultados e conclusão.

 

Texto limitado a 150 palavras, no idioma no qual o artigo foi redigido;

 

Não poderão conter abreviaturas, nem siglas.

 

DESCRITORES

 

Apresentados imediatamente abaixo do resumo e no mesmo idioma deste, sendo a palavra “descritores” em: CAIXA ALTA E EM NEGRITO;

 

Inserir de 3 a 5 descritores, separando-os por ponto e vírgula, e a primeira letra de cada descritor em caixa alta. Ex. Cuidado de enfermagem; Terapia intensiva; Enfermagem pediátrica.

 

Os descritores devem identificar ou refletir os principais tópicos do artigo;

 

Preferencialmente, as palavras utilizadas nos descritores não devem aparecer no título;

 

Para determiná-los, consultar a lista de Descritores em Ciências da Saúde (DECS) → http://decs.bvs.br; Lembrar de clicar em: “Descritor Exato”.

 

Também poderão ser utilizados descritores do Medical Subjetc Headings (MeSH) → www.nlm.nih.gov/mesh/MBrowser.html.

 

Espaçamento simples entre linhas, conforme exemplo:

 

DESCRITORES: Educação; Cuidados de enfermagem; Aprendizagem; Enfermagem; Ensino.

 

INTRODUÇÃO

 

Deve conter justificativa, fundamentação teórica e objetivos. A justificativa deve definir claramente o problema, destacando sua importância, lacunas do conhecimento, e o referencial teórico utilizado quando aplicável.

 

MÉTODO

 

Deve conter o método empregado, período e local em que foi desenvolvida a pesquisa, população/amostra, critérios de inclusão e de exclusão, fontes e instrumentos de coleta de dados, método de análise de dados.

 

Para pesquisa que envolva seres humanos os autores deverão explicitar a observação de princípios éticos, em acordo com a legislação do país de origem do manuscrito, e informar o número do parecer de aprovação por Comitê de Ética em Pesquisa de acordo com a legislação vigente.

 

Ressalta-se a obrigatoriedade da inserção do Parecer do Comitê de Ética na sessão “documentação suplementar”, no ato da submissão do artigo.

 

RESULTADOS

 

Informações limitadas aos resultados da pesquisa. O texto deve complementar informações contidas em ilustrações apresentadas, não repetindo os dados.

 

Inserir sempre o valor de “n” e a porcentagem entre parênteses. Lembrando que n abaixo de 10 deverá estar escrito por extenso e igual ou acima de 10 deverá ser numérico.

 

Exemplo: “Dos 100 participantes, 15 (15%) referiram melhora do quadro e seis (6%) referiram piora”.

 

DISCUSSÃO

 

Apresentação de aspectos relevantes e interpretação dos dados obtidos. Relação e discussão com resultados de pesquisas, implicações e limitações do estudo. Não devem ser reapresentados dados que constem nos resultados.

 

CONCLUSÕES OU CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Destacar os achados mais importantes, comentar as limitações e implicações para pesquisas futuras;

 

Fundamentadas nos objetivos, resultados e discussão, evitando afirmações não relacionadas ao estudo e/ou novas interpretações. Incluir as contribuições do estudo realizado.

 

AGRADECIMENTOS

 

Destinar nesta seção os agradecimentos as agências de financiamentos ou organizações que de alguma forma contribuirão para a realização do estudo.

 

Não se aplica agradecer pessoas ou autores que colaboraram na pesquisa.

 

REFERÊNCIAS

 

As referências devem ser numeradas consecutivamente na ordem em que aparecem no texto pela primeira vez, e apresentadas de acordo com o estilo Vancouver.

 

Limite máximo de 30 referências para artigos originais;

 

Exclusivamente, para Artigo de Revisão, não há limite quanto ao número de referências;

 

Sugere-se incluir referências atuais e estritamente pertinentes à problemática abordada, evitando número excessivo de referências em uma mesma citação (80% dos artigos deve ter no máximo 5 anos de publicação);

 

Artigos disponíveis online devem ser citados segundo normas de versão eletrônica, conforme exemplos abaixo disponibilizados;

Ex:

Artigos

1. Magalhães MV, Melo SCA. Morte e luto: o sofrimento do profissional da saúde. Psicol. Saúde Debate. [Internet]. 2015 [acesso em 20 de agosto 2019]; 1(1). Disponível em: http://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/7/5.

OBS.: O acesso e a disponibilidade devem estar no mesmo idioma do artigo. Ver exemplo abaixo

Bittencourt GKGD, Moreira MASP, Meira LCS, Nóbrega MML, Nogueira JA, Silva AO. Beliefs of older adults about their vulnerability to HIV/Aids, for the construction of nursing diagnoses. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2015 [cited 2020 fev 18]; 68(4). Available from: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680402i. 

Organizações

2. World Health Organization (WHO). Definition of palliative care. [Internet]. 2019 [cited 2019 jul 11]. Available from: http://www.who.int/cancer/palliative/definition/en.

3. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde [Internet]. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2019 [acesso em 23 de agosto 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_vigilancia_saude_3ed.pdf. 

4. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico HIV/Aids: 2019 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde [acesso em 14 de fevereiro 2020]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/boletim-epidemiologico-de-hivaids-2019.

Livros

5. Liberato R. O luto do profissional de saúde: a visão do psicólogo. In: Casellato G. O resgate da empatia: suporte psicológico ao luto não reconhecido. São Paulo: Summus Editorial; 2015.

6. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2016.

Conselhos

7. Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (SP). Uso seguro de medicamentos: guia para preparo, administração e monitoramento. São Paulo: COREN/SP; 2017.

8. Conselho Federal de Enfermagem (Brasil). Resolução COFEN nº 358, de 15 de outubro de 2009. Ed. Brasília: COFEN; 2009. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html.

Teses/Dissertações, Monografias


9. Silva WA. A experiência de conviver com HIV/aids na velhice. [Doutorado em Psicologia Social]. São Paulo (Brasil): Universidade de São Paulo; 2009. [acesso em 27 de outubro 2019]. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-16122009-102915/pt-br.php.

Documentos Legais

10. BRASIL. Decreto n. 89.271, de 4 de janeiro de 1984. Dispõe sobre documentos e procedimentos para despacho de aeronave em serviço internacional. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência. 1984 jan/mar 4;48:3-4. Legislação Federal e marginália.

11. BRASIL. Lei n. 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde. Portal da Legislaçãol: Leis Ordinárias. 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8142.htm

Portarias

12. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Portaria nº. 470, de 24 de novembro de 1999. Institui as características básicas dos rótulos das embalagens de águas minerais e potáveis de mesa. Diário Oficial da União 25 nov 1999;Seção 1.

Resoluções

13. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Resolução nº. 22, de 15 de março de 2000. Procedimentos de Registro e Dispensa da Obrigatoriedade de Registro de Produtos Importados Pertinentes à Área de Alimentos. Diário Oficial da União 16 mar 2000;Seção 1.

14. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Resolução nº. 23, de 15 de março de 2000. Manual de Procedimentos Básicos para Registro e Dispensa da Obrigatoriedade de Registro de Produtos Pertinentes à Área de Alimentos. Diário Oficial da União 16 mar 2000;Seção 1.

15. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Resolução nº. 259, de 20 de setembro de 2002. Regulamento Técnico para Rotulagem de Alimentos Embalados. Diário Oficial da União 23 set 2002;Seção 1.

Códigos

16. Brasil. Código Civil. Organização dos textos, notas remissivas e índice por Juarez de Oliveira. 46. ed. São Paulo: Saraiva; 1995.

Patentes

17. Hoffmamm K, Herbst H, Pfaendner, R, inventores; Ciba-Geygy, depositante.Processo para estabilização de pead. BR patente 9507145-8 A. 1997 Set 02.

18. Meier HR, Evans S, Dubs P, inventors; Ciba-Geigy Corporation, assignee. Substituted phenols as stabilizers. US patent 5,008,459. 1991 Apr 16.

Decretos

19. Brasil. Decreto n.º 3.304, de 27 de abril de 1999. Aprova a estrutura regimental e o quadro demonstrativo dos cargos em comissão e funções gratificadas, do Fundo Nacional e Desenvolvimento, e dá outras providências. Diário Oficial da União 28 abr 1999; 123(8):4-5.

Relatório científico ou técnico 

20. Quimby EH, Shafiro G, Stickley EE. Radiation protection for medical and allied health personnel: recommendations of the National Council on Radiation Protection and Measurements. Bethesda (MD): National Council on radiation Protection and Measurements (US), Council’s Scientific Committee 49 on Radiation Protection Guidance for Paramedical Personnel; 1976. NCRP. Report , 48.

Material Didático ou Instrucional

Fitas de Vídeo


21. Capovilla FC, Guidi MAA. Recursos de hardware para análise experimental do comportamento humano [videocassete]. São Paulo: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo; 1990.


DVD

22. Kindersley D. O corpo humano [DVD]. São Paulo: Globo, 1997.

CD-ROM


23. Anderson SC, Poulsen KB. Anderson's electronic atlas of hematology [CD-ROM]. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2002.


Filmes Cinematográficos
Inclui também suporte em DVD e fitas de vídeo.

Filme


24. Deus e o diabo na terra do sol [filme]. Direção: Glauber Rocha. Rio de Janeiro: Copacabana Filmes; 1964.


DVD


25. Blade Runner [DVD]. Direção: Ridley Scott. Los Angeles: Warner Brothers; c1999.

Mapas

26. Instituto Geográfico. Regiões do Brasil [mapa]. São Paulo: Instituto Geográfico; 1995.

Livro em formato eletrônico


27. Foley KM, Gelband H, editors. Improving palliative care for cancer [monografia na Internet]. Washington: National Academy Press; 2001 [acesso em 9 jul 2002]. Disponível em: http:www.nap.edubooks0309074029html.


Documentos Jurídicos em formato eletrônico


28. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Portaria nº. 15, de 23 de ago de 1988. Determina que o registro de produtos saneantes domissanitários com finalidade antimicrobiana seja procedido de acordo com as normas regulamentares [portaria na internet]. Diário Oficial da União 05 set 1988 [acesso em 13 jul 2007]. Disponível em: http:elegis.bvs.brleisrefpublicshowAct.php?id=12546.

29. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº. 286, de 19 de abril de 2006. Habilitar os Centros de Atenção Psicossocial abaixo discriminados, para realizar os procedimentos previstos na Portaria nº. 189, de 20 de Março de 2002 [portaria na internet]. Diário Oficial da União 20 abr 2006 [acesso em 10 jun 2007]; Seção1, (76). Disponível em: http:www.in.gov.brmateriasxmldosecao12100827.xml.

Homepage/Website

30. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [homepage na internet]. Análise da disponibilidade domiciliar de alimentos e do estado nutricional no Brasil [acesso em 27 mar 2005]. Disponível em: http:www.ibge.gov.br.


Eventos

31. Ramos Junior HS. Considerações sobre a privacidade no espaço cibernético In: 2º Ciberética. Simpósio Internacional de Propriedade Intelectual, Informação e Ética [evento na internet]. 2003 nov 12-14; Florianópolis, Brasil [acesso em 12 jan 2007]. Disponível em: http:www.ciberetica.org.br.

Anuário Impresso

32. Anais do 4. Congresso Paulista de Saúde Pública; 1993 jul. 10-14; São Paulo, Brasil. São Paulo: Associação Paulista de Saúde Pública; 1995.

33. Zioni F. Controle popular: discussões temáticas. In: Anais do 4. Congresso Paulista de Saúde Pública; 1993 jul 10-14; São Paulo, Brasil. São Paulo: Associação Paulista de Saúde Pública; 1995. p. 25-6.

Para casos de mais de um evento realizado simultaneamente, deve-se seguir as mesmas regras aplicadas a autores corporativos.

34. Christensen S, Oppacher F. An analysis of Koza's computational effort statistic for genetic programming. In: Foster JA, Lutton E, Miller J, Ryan C, Tettamanzi AG, editors. Genetic programming. Proceedings of the 5th European Conference on Genetic Programming; 2002 Apr 3-5; Kinsdale, Ireland. Berlin: Springer; 2002. p.182-91.

Trabalhos apresentados em Eventos (pôsteres e similares) e não publicados.


35. Carvalho AB, Lima Filho JL, Dutra RAF, Silva NLLC. Biossensor para doenças de chagas [Apresentação na II Bienal de Pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz; 2000 dez 1-11; Rio de Janeiro, Brasil].

Anuário Online

36. 25.Aosani TR, Lima ACC. A terapia comunitária como estratégia metodológica de trabalho das equipes de núcleo de apoio a saúde da família (nasf) no atendimento a saúde mental. APEsmo [Internet]. 30 de outubro de 2018 [acesso em 30 de junho de 2020]; 30:e19658. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/19658.

 

ANEXOS

 

Os anexos, quando indispensáveis, devem ser citados no texto e inseridos após as referências.

 

ORIENTAÇÕES PARA ILUSTRAÇÕES 

 

Por ilustrações entendem-se tabelas, quadros e figuras (gráficos, diagramas, fotos).

 

São permitidas, no máximo, 5 ilustrações as quais devem ser numeradas consecutivamente, em algarismos arábicos

 

Devem ser indicadas no texto com a primeira letra maiúscula.

 

Exemplo: Tabela 2, Quadro 1, Figura 3.

 

A fonte das informações da ilustração, quando resultante de outra pesquisa, deve ser citada e constar nas referências.

 

Tabelas e quadros

 

Dimensão máxima de 22 cm de altura por 16,5 cm de largura

 

Utilizar traços internos somente abaixo e acima do cabeçalho e, na parte inferior da tabela;

 

Não devem apresentar nem linhas verticais e horizontais no interior da tabela;

 

Devem ser inseridas o mais próximo possível da indicação, e desenhadas com ferramenta apropriada do Microsoft Word for Windows 98® ou compatíveis;

 

Utilizar fonte Trebuchet MS, tamanho 11, espaçamento simples entre linhas;

 

O título de tabelas e quadros deve ser colocado imediatamente acima destes, com espaçamento simples, com negrito. Seguindo os exemplos abaixo:

 

Exemplo 1: Quadro 1 – Intervenções de enfermagem. Belo Horizonte, MG, Brasil, 2010 (Sem ponto final) 

 

Exemplo 2: Tabela 1 – Características socioeconômicas de gestantes portadoras de diabetes mellitus tipo II. Curitiba, PR, Brasil, 2015 (Sem ponto final)

 

Figuras (Gráficos, Diagramas, Fotos)

 

Dimensão máxima de 22 cm de altura por 16,5 cm de largura.

 

Devem ser apresentadas no texto, o mais próximo possível da indicação, e anexadas em arquivo separado, com qualidade necessária à publicação. Preferencialmente, no formato JPEG, GIF ou TIFF, com resolução mínima de 300 dpi.

 

O título da figura deve ser colocado acima desta, separado por ponto do nome da cidade, estado, país e ano. Esses últimos separados por vírgula e sem ponto final.

 

Exemplo: Figura 1 – Estilos de liderança segundo a Teoria do Grid Gerencial. São Paulo, SP, Brasil, 2011

 

Poderão ser publicadas fotos coloridas e fotos de pessoas (exceto as de acesso público, já publicadas).

 

ORIENTAÇÕES PARA CITAÇÕES E DEPOIMENTOS

 

1) Citação indireta ou paráfrase

 

Informar o número da referência imediatamente ao término do texto, sem espaço, sem parênteses, e após o sinal gráfico (pontuação).

 

Exemplo: O conceito de conforto está diretamente relacionado ao bem-estar.1

 

2) Citação sequencial/intercalada

 

Separar os números de cada referência por traço, quando for sequencial.

 

Exemplo: 8-10  – a informação refere que as referências 8, 9 e 10 estão inclusas.

 

Separar os números de cada referência por vírgula, quando for intercalada. 

 

Exemplo: 8,10  – a informação refere que as referências 8 e 10 estão inclusas.

 

3) Citação direta com até três linhas

 

Inserida no corpo do parágrafo e entre aspas. O número e página correspondentes à citação literal devem constar sobrescritos, sem parênteses e separados por dois pontos.

 

Exemplo: 8:13 – a informação se refere à referência 8, página 13.

 

4) Citação direta com mais de três linhas

 

Constar em novo parágrafo, justificado à direita e com recuo de 4 cm da margem esquerda, digitada em fonte Trebuchet MS 10, espaço simples entre linhas, sem aspas.

 

O número e página correspondentes à citação direta devem constar sobrescritos, sem parênteses e separados por dois pontos.

 

Exemplo: 8:345-6    o número 8 se refere à referência e o 345-9 às páginas.

 

5) Depoimento

 

A transliteração de depoimento deverá constar em novo parágrafo, digitada em fonte Trebuchet 11, itálico, com espaçamento simples entre linhas, sem aspas.

 

Comentários do autor devem estar entre colchetes e sem itálico.

 

A identificação do sujeito deve ser codificada (explicar a codificação na metodologia), entre parênteses, sem itálico e separada do depoimento por ponto.

 

Exemplo: [Comunicação] é você expressar algo, dizer alguma coisa a alguém é o ato de se comunicar […]. (Familiar 2)

 

 

 

PÁGINA DE IDENTIFICAÇÃO

 

Título

 

Deve ser conciso e refletir a ideia principal do manuscrito, com no máximo 16 palavras e excluindo a localização geográfica da pesquisa.

 

CAIXA ALTA, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES, CENTRALIZADO

 

IMPORTANTE: Em caso do manuscrito ter origem em tese, dissertação, monografia ou trabalho de conclusão de Curso, deverá conter asterisco (*) ao final do título e a respectiva informação em nota de rodapé.

 

Autoria (fonte Trebuchet MS 11)

 

Limitado a seis autores;

 

Nomes, completos, apresentados imediatamente abaixo do título, alinhados à direita, separados por vírgula, numerados com algarismos arábicos sequenciais e sobrescritos. 

 

Espaçamento simples entre as linhas;

 

As informações dos autores (formação, maior titulação acadêmica, cargo ocupado, nome da instituição, cidade, estado e país), deverão ser apresentadas imediatamente abaixo dos nomes, justificado, com fonte Trebuchet MS 10 e espaçamento entre as linhas em 1,15.

 

Cidade, estado e país, separados por hífen.

 

Autor Correspondente

 

Autor correspondente é aquele para o qual a RPCFO encaminhará os comunicados a respeito do processo de análise do manuscrito. É responsável por representar os demais autores quanto às alterações no texto, fluxo do manuscrito e aceite formal da versão final do manuscrito para publicação. 

 

Informar nome, instituição vinculada, endereço (rua, nº, CEP, cidade, estado, país), telefone e e-mail (fonte 10).

 

O nome do autor correspondente constará como tal por ocasião da publicação do artigo. É sua responsabilidade comunicar à RPCFO qualquer mudança no endereço e/ou problemas com o e-mail, a fim de evitar atrasos no processo de análise do manuscrito.

 

Modelo para download: modelo de página de identificação

 

CÓPIA DO PARECER DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA

 

Para artigo de pesquisa que envolva seres humanos, enviar cópia do parecer de aprovação, com o respectivo número do protocolo, emitido por Comitê de Ética em Pesquisa e de acordo com a legislação do país de origem do manuscrito. A cópia deve ser anexada como documento suplementar.

 

A cópia deve ser anexada como documento suplementar e, na íntegra, contendo o parecer de “Aprovado”.

 

DOCUMENTO DE SUBMISSÃO

 

Este documento inclui a declaração de responsabilidade, de transferência de direitos autorais, de participação no manuscrito e de conflito de interesses.

 

Deve ser preenchido e assinado por todos os autores e anexado como documento suplementar.

 

Exemplo: Documento de submissão

 

O manuscrito que NÃO cumprir tais Normas, por INCOMPLETUDE ou INADEQUAÇÃO, SERÁ SUMARIAMENTE DEVOLVIDO antes mesmo de ser submetidos à avaliação PELO CONSULTOR. Portanto, solicitamos atenção na das normas para submissão de manuscritos. Caso não seja atendida a solicitação ajustes no prazo de 3 (três) dias, o mesmo será ARQUIVADO e se houver interesse ainda em publicá-lo, deverá ser submetido novamente, onde será iniciado novo processo de julgamento por pares.

O processo de avaliação utiliza o sistema Doubleblind peer review, preservando a identidade dos autores e consultores, com emprego de formulário da RPCFO. O prazo de devolução para os pareceres é, no máximo, 28 dias, quando for aceita a realização da avaliação pelos avaliadores. Caso contrário, será enviado para outros consultores. Em persistindo a não aceitação, dois membros do Conselho Editorial avaliarão o artigo.

Os pareceres dos avaliadores serão disponibilizados online para o autor responsável pela submissão que terá o prazo de 10 (dez) dias para atender as solicitações. Caso contrário, o manuscrito será ARQUIVADO após envio de comunicado para todos os autores por entendermos que não houve interesse em atender a solicitação para ajustes de acordo com as avaliações realizadas. Porém, se houver interesse ainda em publicá-lo, o artigo deverá ser submetido novamente, onde será iniciado novo processo de julgamento por pares. 

Política de Referência Cruzada da RPCFO: http://seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/about/editorialPolicies#custom-1