University knowledge and opinion on donation and organ transplantation / Conhecimento e opinião de universitários sobre doação e transplantes de órgãos

Morgana Hanauer, Andreia Burille

Resumo


Objetivo: analisou-se o conhecimento e a opinião de universitários sobre doação e transplante de órgãos. Métodos: pesquisa qualitativa, realizada em um pequeno município do Rio Grande do Sul. Além de residir no cenário e de não estar inserido em formações na área da saúde, teve-se como critério de inclusão vínculo acadêmico ativo. Entrevistas semiestruturadas geraram as informações, sendo estas apresentadas pela análise temática. Resultados: evidenciou-se sensibilidade e engajamento ao falar da temática, no entanto, quando direcionadas questões sobre o processo e as possibilidades de doação, o conhecimento mostrou-se incipiente e, por momentos, envolto por mitos e medos. Alguns assuntos, como conceito de morte encefálica e etapas do processo de doação poderiam ser exploradas em campanhas, à medida que muitas dúvidas dos participantes se situaram nesses campos. Conclusão: recomenda-se que nos espaços universitários sejam asseguradas discussões transversais, que fortaleçam o ideário de solidariedade.

 


Palavras-chave


Educação em saúde; Doação de órgãos; Transplante; Estudantes; Saúde Coletiva

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Marcon, L et al. Cuidados de enfermagem com pacientes potencialmente doadores de órgãos para transplante e sua família. In: Bresciani H, Martini J, Teixeira E (Orgs.). Programa de atualização em enfermagem: saúde do adulto. Porto Alegre: Artmed, 2012. p. 117-153.

Pessalacia JDR, Cortes VF, Ottoni A. Bioética e doação de órgãos no Brasil: aspectos éticos na abordagem à família do potencial doador. Rev. Bioet., 2011; 19 (3): 671-682. Disponível em:

.

Campos HH. Aumento do número de transplantes e da doação de órgãos e tecidos: processo de construção coletiva. ABTO, [2017?]. Disponível em: .

Portal Brasil. Sistema Único de Saúde financia 95% dos transplantes no Brasil. Brasília, DF: 2015. Disponível em: .

Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos. Dados numéricos da doação de órgãos e transplantes realizados por estado e instituição no período: janeiro/setembro - 2017. São Paulo, SP: Registro Brasileiro de Transplantes; 2017. Disponível em: .

Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos. Dados numéricos da doação de órgãos e transplantes realizados por estado e instituição no período: janeiro/junho - 2017. São Paulo, SP: Registro Brasileiro de Transplantes; ano XXIII, 2, 2017. Disponível em: .

Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos. Dimensionamento dos transplantes no Brasil e em cada estado (2009-2016). São Paulo, SP: Registro Brasileiro de Transplantes; ano XXII, 4, 2016. Disponível em: .

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec; 2014.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Feliz. Rio de Janeiro, RJ: IBGE; 2017. Disponível em: .

Vaitsman J. Flexíveis e plurais: identidade, casamento e família em circunstâncias pós-modernas. Rio de Janeiro: Rocco; 1994.

Brasil. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 jun. 2013. Seção 1, p. 59.

Portal Brasil. Informe-se sobre o processo de doação de órgãos e tecidos. Brasília, DF: MS; 2014. Disponível em: .

Sinopse do seriado. [local desconhecido]: Grey’s Anatomy Brasil, [2017?]. Disponível em: .

Neto JAC et al. Estudantes de medicina da UFJF e doação de órgãos para transplante. HU Revista, 2012; 38 (1-2): 83-90. Disponível em: .

Freire ILS et. al. Aspectos éticos e legais da doação de órgãos e tecidos: visão dos estudantes de enfermagem. R. Enferm. Cent. O. Min., 2015; 5 (2): 1594-1603. Disponível em: .

Doria DL et al. Conhecimento do enfermeiro no processo de doação de órgãos. Enferm. Foco, 2015; 6 (1/4): 31-35. Disponível em: .

Freire ILS et. al. Aceitação e conhecimento de docentes de enfermagem sobre a doação de órgãos e tecidos. Rev. Enferm. UERJ, 2016; 24 (1): 1-7. Disponível em: .

Bedenko RC et al. Análise do conhecimento da população geral e profissionais de saúde sobre doação de órgãos após morte cardíaca. Rev. Bras. Ter. Intensiva, 2016; 28 (3): 285-293. Disponível em: .

Nogueira MA et al. Conhecimentos e posicionamentos de adolescentes sobre doação de órgãos antes e após uma ação educativa. Rev. Enferm. Atenção Saúde, 2016; 5 (2): 57-72. Disponível em: .

Nogueira MA et al. Conhecimento de docentes de graduação em enfermagem sobre doação de órgãos e tecidos para transplante. Rev. Enferm. UFPI, 2017; 6 (2): 16-22. Disponível em: .

Brasil. Decreto nº 9.175, de 18 de outubro de 2017. Regulamenta a Lei nº 9.434, de 4 de fevereiro de 1997, para tratar da disposição de órgãos, tecidos, células e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 2017. Disponível em: .

Rodrigues Filho EM, Junges JR. Morte encefálica: uma discussão encerrada? Rev. Bioét., 2015; 3 (23): 485-494. Disponível em: .

Pessoa JLE, Schirmer J, Roza BA. Avaliação das causas de recusa familiar à doação de órgãos e tecidos. Acta Paul. Enferm., 2013; 26 (4): 323-330. Disponível em: .

Moraes EL, Massarollo MCKB. Recusa de doação de órgãos e tecidos para transplante relatados por familiares e potenciais doadores. Acta Paul. Enferm., 2009; 22 (2): 131-135, Disponível em: .

Roza BA et al. Doação de órgãos e tecidos: relação com o corpo em nossa sociedade. Acta Paul. Enferm., 2010; 23 (3): 417-422. Disponível em: .

Brasil. Lei nº 9.434, de 4 de fevereiro de 1997. Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 05 fev. 1997. Disponível em: .

Barreto BS et al. Fatores relacionados à não doação de órgãos de potenciais doadores no estado de Sergipe, Brasil. Rev. Bras. Pesq. Saúde, 2016; 18 (3): 40-48. Disponível em: .




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.8505 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.