Perceptions of mothers of children with cerebral palsy: a look at the past and the future / Percepções de mães de crianças com paralisia cerebral: um olhar sobre o passado e o futuro

Tatiana Afonso, Simone Souza da Costa Silva, Fernando Augusto Ramos Pontes

Resumo


Essa pesquisa teve como objetivo compreender as percepções de mães de crianças diagnosticadas com paralisia cerebral acerca dos aprendizados (passado) e expectativas (futuro) frente ao diagnóstico. Utilizou-se a Teoria Fundamentada (TF) para a análise dos dados a partir de entrevistas realizadas com 13 mães de crianças com PC no estado do Pará, Amazônia, Brasil. Após a coleta, as falas das participantes foram organizadas e problematizadas a partir da codificação dos dados. As categorias finais foram: O passado de aprendizado, Amadurecimento, Aprendendo sobre felicidade, O futuro de desafios e Dificuldades a serem vencidas. Quando o histórico de aprendizado acerca da paralisia cerebral se mostrava difícil e percebido como limitador, as mães se deparavam com um futuro preocupante frente aos poucos avanços do filho e as restrições relacionadas à carreira. Conclui-se que, apesar das dificuldades vividas, as mães percebiam-se realizadas com a construção dos intensos aprendizados vividos e nunca imaginados.


Palavras-chave


Paralisia cerebral; Percepções maternas; Cuidado à criança; Teoria Fundamentada.

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Lima CLA, Fonseca LF. Paralisia cerebral: neurologia, ortopedia, reabilitação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

Vasconcelos VM, Frota MA, Pinheiro AKB, Gonçalves MLC. Percepção de mães acerca da qualidade de vida de crianças com paralisia cerebral. Cogitare Enferm. 2010; 15(2): 238-244.

Raina P, O´Donnell M, Rosenbaum P, Brehaut J, Walter SD, Russell D, Swinton M, Zhu B, Wood E. The health and well-being of caregivers of children with cerebral palsy. Pediatrics, 2005; 115: 626-636.

Rocha AP, Afonso DRV, Morais RL de S. Relação entre desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral e qualidade de vida relacionada à saúde de seus cuidadores. Fisioter Pesq. 2008; 15(3): 292-297.

Mancini MC, Alves ACM, Schaper C, Figueiredo EM, Sampaio RF, Coelho ZAC et al. Gravidade da paralisia cerebral e desempenho funcional. Rev Bras Fisioter. 2004; 8(3):253-260.

Milbrath VM, Siqueira HCH, Motta MGC, Amestoy SC. Família da criança com paralisia cerebral: percepção sobre as orientações da equipe de saúde. Texto Contexto Enferm Florianópolis, 2012; 21(4):921-928.

Rotta NT. Paralisia cerebral: novas perspectivas terapêuticas. J Pediatr (Rio J) 2002; 78(Suppl 1):48-54.

Milbrath VM, Cecagno D, Soares DC, Amestoy SC, Siqueira HCH. Ser mulher mãe de uma criança portadora de paralisia cerebral. Acta Paul Enferm. 2008; 21(3),427-431.

Al-gamal E, Longo T. Psychological distress and perceived support among Jordanian parents living with a child with cerebral palsy: A cross‐sectional study. Scand J Caring Sci. 2013; 27, 624-631.

Dagenais L, Hall N, Majnemer A, Birnbaum R, Dumas F, Gosselin J et al. Communicating a diagnosis of cerebral palsy: caregiver satisfaction and stress. Pediatr Neurol. 2006; 35(6): 408-414.

Monteiro M, Matos A P, Coelho R. A adaptação psicológica de mães cujos filhos apresentam Paralisia Cerebral: Revisão da literatura. Revista Portuguesa de Psicossomática, 2002; 4 (2):149-178.

Gração DC, Santos MGM. A percepção materna sobre a paralisia cerebral no cenário da orientação familiar. Fisioter Mov. 2008; 21 (2):107-113.

Guillamón N, Nieto R, Pousada M, Redolar D, Muñoz E, Hernandez E et al. Quality of life and mental health among parents of children with cerebral palsy: the influence of self-efficacy and coping strategies. J Clin Nurs. 2013; 22: 1579-1590.

Huang YP, Kellett UM, St John W. Cerebral palsy: experiences of mothers after learning their child’s diagnosis. J. Ad Nurs. 2010; 66(6):1213–1221.

Hiratuka E, Matsukura TS, Pfeifer LI. Adaptação transcultural para o Brasil do sistema de classificação da função motora grossa (GMFCS). Rev Bras Fisioter. 2010; 14(6):537-544.

Oliveira AKC, Matsukura TS. Estresse e apoio social em cuidadores de crianças com paralisia cerebral. Cad Ter Ocup UFSCar. 2013; 21 (3): 493-503. Palisano R, Rosenbaum P, Walter S, Russell D, Wood E, Galuppi B. Development and validation of a gross motor function classification system for children with cerebral palsy. Dev Med Child Neurol. 1997; 39: 214–223.

Russell D, Rosenbaum PL, Avery LM, Lane M. Medida da Função Motora Grossa GMFM-66 & GMFM-88 Manual do Usuário. São Paulo: Memnon, 2011.

Glaser BG, Strauss AL. The Discovery of Grounded Theory: Strategies for Qualitative Research. Chicago: Aldine Publishing Company,1967.

Charmaz K. A Construção da Teoria Fundamentada: guia prático para análise qualitativa. Tradução de Joice Elias Costa. Porto Alegre (PA): Artmed, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.7146 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.