Prevalence and severity of menopausal symptoms in women with coronary artery disease / Prevalência e intensidade de sintomas climatéricos em mulheres com doença arterial coronariana

Líscia Divana Carvalho Silva, Marli Villela Mamede

Resumo


Objetivo: Analisar a sintomatologia climatérica em mulheres com doença arterial coronariana. Métodos: Estudo realizado com quarenta (40) mulheres, clientes do Ambulatório de Cardiologia do Hospital da Universidade Federal do Maranhão. Utilizou-se a Escala de Avaliação da Menopausa para identificação e análise dos sintomas climatéricos. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo sob o CAEE 11288913.2.00005393 e a coleta dos dados foi realizada em 2103. Resultados: Os sintomas mais frequentemente relatados pelas mulheres foram a ansiedade (39), mal estar no coração (38), irritabilidade (38), problemas musculares e nas articulações (36), falta de ar (35) suores, calores (35) e esgotamento físico e mental (35), problemas de sono (34), estado de ânimo depressivo (32), problemas sexuais (30), problemas de bexiga (20) e ressecamento vaginal (15). Em relação a intensidade foram os problemas musculares e nas articulações (0,66), ansiedade (0,65), mal estar do coração (0,64), esgotamento físico e mental (0,60), irritabilidade (58) e falta de ar, suores, calores (57), estado de ânimo depressivo (0,55), problemas de sono (0,49), problemas sexuais (0,46), problemas de bexiga (0,29) e o ressecamento vaginal (0,17). A média de escore dos sintomas psicológicos foi 23,8; nos somáticos 23,6 e nos urogenitais 9,2. Conclusão:Os sintomas climatéricos parecem ser confundidos com problemas inerentes à idade e percebidos com mais intensidade na presença de doenças, inclusive a doença cardíaca.  


Palavras-chave


Climatério, Menopausa, Doença das coronárias

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Daline AS, Santos MAM. Ações das enfermeiras em unidades de saúde

da família sobre a saúde da mulher climatérica. Arq Ciênc Saúde. 2014;

(1): 36-41.

Ministério da Saúde (Brasil) Departamento de Atenção Básica.

Controle dos cânceres do colo do útero e mama/Ministério da Saúde,

Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica.

Brasília. [citado 2015. dez 22]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.

br/bvs/publicacoes/controle_canceres_colo_utero_2013.pdf

Paschoal MA, Polessi EA, Simioni FC. Avaliação da variabilidade da

freqüência cardíaca em mulheres climatéricas treinadas e sedentárias.

Rev Bras Cresc Desenv Hum. 2010;20(3):778-86.

Valença CN, Germano RM. Concepções de mulheres sobre menopausa

e climatério. Rev Rene. 2010;11(1):161-171.

Freeman EW, Sherif K. Prevalence of hot flushes and night sweats

around the world: asystematic review. Climacteric. 2007;10(3):197-214.

KELLY, B. Menopause as a social and cultural construction. Xavier

University of Louisiana’s Undergraduate Research Journal, St Louis,

; 8 (2): 29-39.

Antonicelli R, Olivieri F, Morichi V, Urbani E, Mais V. Prevention of

cardiovascular events in early menopause: a possible role for hormone

replacement therapy. Int J Cardiol. 2008;130: 140–6.

Evora PRB, Nather JC, Rodrigues AJ. Prevalência das Doenças

Cardíacas Ilustrada em 60 Anos dos Arquivos Brasileiros de

Cardiologia. 2014; 102(1):3-9.

Villela WV. Relações de gênero, processo saúde-doença e uma

concepção de integralidade. Bol Inst Saúde. 2009;48:26-30.

Heinemann K, Ruebig A, Potthoff P, Schneider HP, Strelow F,

Heinemann LA et al. The Menopause Rating Scale (MRS): A

methodological review [Internet]. Health and Quality of Life

Outcomes. 2004; 2:45-28. [citado 2014.02.16]. Disponível em: http://

www.hqlo.com/content/2/1/45.

Castilho SD, Pinheiro CD, Bento CA, Barros-Filho AA, Cocetti M.

Tendência secular da idade da menarca avaliada em relação ao índice

de massa corporal. Arq bras Endocrinol Metab. 2012;56(3):195-200.

Brischiliari SCR, Dell’agnolo CM, Gil LM, RomeiroTC, Gravena AAF,

Carvalho MDB et al. Papanicolaou na pós-menopausa: fatores associados

a sua não realização. Cad Saúde Pública. 2012; 28(10):1976-84.

Wang HL, Tai MK, Hung HM, Chen CH. Unique symptoms at midlife

of women with osteoporosis and cardiovascular disease in Taiwan.

Menopause. 2013;20(3):315-21.

Santos DAM. Prevalência de isquemia miocárdica na cintilografia

em mulheres nos períodos pré/pós-menopausa. Arq bras Cardiol.

;101(6): 487-94.

Castelo Branco C, Blümel JE, Chedraui P, Calle A, Bocanera R, Depiano E

et al. Age at menopause in latin américa. Menopause. 2006; 13(4):706-12.

Polisseni AF, Araújo DAC, Polisseni F, Mourão Júnior CA, Polisseni J,

Fernandes ES et al. Depressão e ansiedade em mulheres climatéricas:

fatores associados. Rev Bras Ginecol Obstet. 2009;31(1):28-34.

Fernandes RCL, Rozenthal M. Avaliação da sintomatologia depressiva

de mulheres no climatério com a escala de rastreamento populacional

para depressão. Rev Psiquiatr. 2008;3(30):192-200.

Voogdt-Pruis HR, Vrijhoef HJM, Beusmans GHMI, Gorgels APM.

Quality improvement of nurse-led aftercare to outpatients with

coronary heart disease: report of a case study. Int J for quality in health

care. 2012; 24(3):286–92.

Salles LF, Silva MJP. A identificação da ansiedade por meio da análise

da íris: uma possibilidade. Rev Gaúcha Enferm., Porto Alegre (RS)

Mar;33(1):26-31.

Cantus DS, Ruiz MCS. A cardiopatia isquêmica na mulher. Rev latinoam

Enfermagem. 2011;19(6):1462-69.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.6755 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.