Application of an educational technology in sepsis protocol in obstetrics units / Aplicação de tecnologia educativa na sensibilização do protocolo de sepse em unidade de tocoginecologia

Laise Cristina Medeiros Pantoja, Héllen Cristhina Lobato Jardim Rêgo, Vera Lúcia de Azevedo Lima

Resumo


Objetivo: avaliar o impacto da sensibilização no setor e adesão ao protocolo de sepse em unidade de tocoginecologia. Método: Trata-se de uma pesquisa-ação no período de janeiro a março/2016, com 63 profissionais que trabalham em unidade de tocoginecologia de um hospital de alta complexidade. Resultados: 51% dos profissionais receberam o treinamento sobre o protocolo de sepse e após, 50% dos pacientes que tinham critérios de SIRS foram incluídos no protocolo de sepse, sendo que o desfecho de 03 destas, foi alta hospitalar e 02 foram transferidas para UTI devido sepse grave. O tempo médio de administração do antibiótico foi 50 minutos, da solicitação do hemograma foi 46,25 minutos e do resultado do lactato foi acima de 30 minutos. Conclusão: Ainda há necessidade de melhoria em relação à adesão pela equipe de Enfermagem para implantação de medidas de combate à sepse.

Palavras-chave


Sepse; Puérperas; Tecnologia Educativa

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Bone RC, Balk RA, Cerra FB, Dellinger RP, Fein AM, Knaus WA. Definitions for sepsis and organ failure and guidelines for the use of innovative therapies in sepsis. The ACCP/SCCM Consensus Conference Committee. American College of Chest Physicians/Society of Critical Care Medicine. Chest 1992;101(6):1644-55.

Sales Junior JAL, David CM, Hatum R, Souza PCSP, Japiassu A, Pinheiro CTS, et al. Sepse Brasil: EstudoEpidemiológico da Sepse em Unidades de terapiaintensivaBrasileiras. Rev. bras. ter. intensiva 2006;18(1).

Carvalho RH, Vieira JF, Gontijo Filho PP, Ribas RM. Sepse, sepse grave e choqueséptico: aspectosclínicos, epidemiológicos e prognóstico em pacientes de Unidade de TerapiaIntensiva de um Hospital Universitário. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. 2010;43(5):591-593.

Amaral E, Luz AG, Souza JPD. A morbidadematerna grave naqualificação da assistência: utopia ounecessidade? Rev Bras Ginecol Obstet. 2007;29(9):484-9.

Reinhart K, Daniels R, Machado FR. O ônus da sepse: umachamada em apoioaodiamundial da sepse 2013. Rev Bras TerIntensiva. 2013;25(1):3-5.

Koerich MS, Backes DS, Sousa FGM, Erdmann AL, Alburquerque GL. Pesquisa-ação: ferramentametodológica para a pesquisaqualitativa. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2009;11(3):717-23. Available at: http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n3/v11n3a33.htm.

Laguna-Pérez A, Chilet-Rosell E, Lacosta MD, Alvarez-Dardet C, Selles JU, Muñoz-Mendoza CL. Observância e efetividade das intervenções de um protocoloclínicoutilizado para pacientes com sepse grave e choqueséptico de uma Unidade de CuidadosIntensivos da Espanha. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2012;20(4)

Koeing A, PiconPD, Feijo J, Silva E, Westphal GA.Estimativa do impactoeconômico da implantação de um protocolohospitalar para detecção e tratamentoprecoce de sepse grave em hospitaispúblicos e privados do sul do Brasil. Rev. bras. ter. intensiva vol.22 no.3 São Paulo July/Sept. 2010

Filho Martins ED, Santos AC, Junior Rodrigues RST, Adeodato L, Coutinho I, Katz L. Perfilepidemiológico e clínico de pacientesadmitidas com diagnóstico de sepse puerperal de origempélvica em uma UTI obstétrica no Nordeste do Brasil. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. vol.10 no.4 Recife Oct./Dec. 2010

Yazlle MEHD. Gravideznaadolescência. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. vol.28 no.8 Rio de Janeiro Aug. 2006 ZIMMERMMANN, J. B. et al. Complicaçõespuerperaisassociadas à via de parto. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. vol.28 no.8 Rio de Janeiro Aug. 2006

Rhodes A1, Phillips G, Beale R, Cecconi M, Chiche JD, De Backer D, et al. The Surviving Sepsis Campaign bundles and outcome: results from the International Multicentre Prevalence Study on Sepsis (the IMPreSS study). Intensive Care Med. 2015 Sep;41(9):1620-8.

The ARISE Investigators and the ANZICS Clinical Trials Group. Goal-directed resuscitation for patients with early septic shock. N England J Med 2014; 371:1496-1506.

Caribé RA. Sepse e choqueséptico em adultos de unidade de terapiaintensiva: aspectosepidemiológicos, farmacológicos e prognósticos. [Doctor’s Thesis]. [Recife]: Universidade Federal de Pernambuco; 2013. 168 p.

Cicarelli DD, Vieira JE, Benseñor FEM. LactatocomoPrognóstico de Mortalidade e FalênciaOrgânica em Pacientes com Síndrome da RespostaInflamatóriaSistêmica. Rev Bras Anestesiol 2007;57(6)630-638.

ILAS (Instituto Latino Americano da Sepse). COSTS – Estudomulticêntrico, prospectivo, randomizado para avaliação do custo de pacientessépticos em unidades de terapiaintensivabrasileiras. Pharmacoeconomics 2008;26(5):425-434.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.6731 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.