Multiprofessional Care Towards the Crack-Related Hospital Admissions / O Cuidado Multiprofissional na Prevenção de Internações Relacionadas ao Uso de Crack

Main Article Content

Eliany Nazaré Oliveira
http://orcid.org/0000-0002-6408-7243
Roberta Magda Martins Moreira
http://orcid.org/0000-0002-8225-7576
Lycélia da Silva Oliveira
http://orcid.org/0000-0003-0257-4115
Anny Caroline dos Santos Olímpio
http://orcid.org/0000-0002-3656-6001
Rita Wigna de Souza Silva
http://orcid.org/0000-0003-2112-7986
Paulo Jorge de Almeida Pereira
http://orcid.org/0000-0002-3941-8274

Resumo

Objetivo: Analisar a relação do cuidado multiprofissional ofertado em um Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e Outras Drogas (CAPS AD) com o número de internação hospitalar relacionada diretamente com o consumo de drogas em usuários de crack. Métodos: Estudo documental com abordagem quantitativa, realizado com 213 prontuários de usuários de crack de um CAPS AD, referente ao perfil socioeconômico, atendimentos individuais, em grupo e internação hospitalar. As informações foram processadas no SPSS versão 22. Resultados: Observou-se predomínio de homens (76,5%), com idade entre 11 a 47 anos, solteiros (60,8%) que possuíam ensino fundamental incompleto (53,5%). Os atendimentos com maior significância estatística foram enfermagem, psiquiatria, clínica médica e técnico em enfermagem, bem como  grupos de atividade física, arteterapia e prevenção de recaída. Conclusão: É necessário realizar assistência contínua e integral ao usuário de crack, com equipe multiprofissional atuando de forma complementar para minimizar as internações referentes ao consumo da droga.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Nazaré Oliveira E, Martins Moreira RM, da Silva Oliveira L, dos Santos Olímpio AC, de Souza Silva RW, de Almeida Pereira PJ. Multiprofessional Care Towards the Crack-Related Hospital Admissions / O Cuidado Multiprofissional na Prevenção de Internações Relacionadas ao Uso de Crack. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 18º de maio de 2022];11(5):1293-9. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7515
Seção
Research

Plum Analytics

Referências

World Health Organization. Preventing Suicide: a global imperative. Genebra: WHO; 2014.

Laranjeira R. Segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas. São Paulo: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas de Álcool e Outras Drogas (INPAD),UNIFESP; 2014.

Carvalho MRS, Silva JRS, Gomes NP, Andrade MS, Oliveira JF, Souza MRR. Motivações e repercussões do consumo de crack: o discurso coletivo de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial. Esc Anna Nery [Internet]. 2017 [acesso em 20 jan 2018]; 21(3): 1-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v21n3/pt_1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2016-0178.pdf

Pedrosa SM, Reis ML, Gontijo DT, Teles SA, Medeiros M. A trajetória da dependência do crack: percepções de pessoas em tratamento. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 set/out [acesso em 14 fev 2018]; 69(5): 956-63. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n5/0034-7167-reben-69-05-0956.pdf

https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0045

PMid:27783740

Seleghim MR, Galera SAF, Oliveira MLF. Usuários de crack atendidos em unidade de emergência psiquiátrica: perfil de uma série de casos. Rev pesqui cuid fundam [Internet]. 2016 [acesso em 14 mar 2018]; 8(4): 4907-13. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2961

https://doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i4.4907-4913

Ribeiro M, Laranjeira R. O tratamento do usuário de crack. Porto Alegre: Artmed; 2012.

Fonseca FN, Gondim APS, Fonteles MMF. Influência dos grupos terapêuticos em Centro de Atenção Psicossocial entre usuários com dependência de cocaína/crack. Saúde debate [Internet]. 2014 set [acesso em 14 mar 2018]; 38(102): 551-61. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042014000300551&lng=en&nrm=iso

https://doi.org/10.5935/0103-1104.20140051

Halpern SC, Scherer JN, Roglio V, Faller S, Sordi A, Ornell F, et al. Vulnerabilidades clínicas e sociais em usuários de crack de acordo com a situação de moradia: um estudo multicêntrico de seis capitais brasileiras. Cad Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 14 mar 2018]; 33(6): 1-13. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2017000605002&lng=en

https://doi.org/10.1590/0102-311x00037517

PMid:28678934

Nasi C, Oliveira GC, Lacchini AJB, Schneider JF, Pinho LB. Tecnologias de cuidado em saúde mental para o atendimento ao usuário de crack. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2015 mar [acesso em 14 mar 2018]; 36(1): 92-7. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472015000100092&lng=en

https://doi.org/10.1590/1983-1447.2015.01.45934

PMid:26098808

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 336, de 19 de fevereiro de 2002. Estabelece a criação dos Centros de Atenção Psicossocial e dá outras providências. Brasília: Imprensa oficial; 2002.

Ribeiro DR, Carvalho DS. O padrão de uso de drogas por grupos em diferentes fases de tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD). J bras psiquiatr [Internet]. 2015 set [acesso em 15 mar 2018]; 64(3): 221-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852015000300221&lng=en&nrm=iso

https://doi.org/10.1590/0047-2085000000082

Oliveira EN, Santana MMG, Eloia SC, Almeida PC, Félix TA, Ximenes Neto FRG. Projeto terapêutico de usuários de crack e álcool atendidos no centro de atenção psicossocial. Rev Rene [Internet]. 2015 mai/jun [acesso em 15 mar 2018]; 16(3):434-41. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/2819/2188

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução de nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da saúde; 2012.

Abreu AMM, Parreira PMSD, Souza MHN, Barroso TMMDA. Perfil do consumo de substâncias psicoativas e sua relação com as características sociodemográficas: uma contribuição para intervenção breve na atenção primária à saúde, Rio de Janeiro, Brasil. Texto e contexto enferm [Internet]. 2016 [acesso em 20 mar 2018]; 25(4): 9p. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n4/pt_0104-0707-tce-25-04-1450015.pdf

Mascarenhas MA, Santos P, Alves M, Rosa CB, Wilhelms Junior N, Mascarenhas R, et al. Characterization of users of psychoactive substances at the clinic for addictive disorder with emphasis on chemical dependence. Rev Baiana Saúde Pública [Internet]. 2014[cited 2018 mar 20];38(4):837-53. Available from: http://inseer.ibict.br/rbsp/index.php/rbsp/article/view/572

https://doi.org/10.5327/Z0100-0233-2014380400006

Oliveira EN, Silva MWP, Eloia SC, Mororó FWP, Lima GF, Matias MMM. Caracterização da clientela atendida em Centro de Atenção Psicossocial - álcool e drogas. Rev Rene [Internet]. 2013 [acesso em 20 mar 2018]; 14(4): 748-56. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/3537/2777

Bastos FI, Bertoni N. Pesquisa nacional sobre o uso de crack: quem são os usuários de crack e/ou similares do Brasil? Quantos são nas capitais brasileiras? Rio de Janeiro: Editora ICIT/FIOCRUZ; 2014.

Andrade AT, Rimes TS, Costa LSP, Jorge MSB, Quinderé PHD. Social and demographical aspects of crack users assisted by psychological-social attention network. SMAD, Rev Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog [Internet]; 2016 mar [cited 2018 mar 20]; 12(1): 40-7. Available from: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/smad/v12n1/06.pdf

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v12i1p40-47

Soares RD, Villela JC, Borba LO, Brusamarello T, Maftum MA. O papel da equipe de enfermagem no centro de atenção psicossocial. Esc. Anna Nery [Internet]. 2011 mar [acesso em 20 mar 2018]; 15( 1 ): 110-15. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141481452011000100016&lng=en.

https://doi.org/10.1590/S1414-81452011000100016

Duarte EOS, Nasi C, Camatta MW, Schneider JF. Caracterização das práticas de assistência na rede de atenção em saúde mental: revisão integrativa. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2012 dez [acesso em 21 mar 2018]; 33(4): 191-9. Disponível em: //www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198314472012000400024&lng=em

https://doi.org/10.1590/S1983-14472012000400024

PMid:23596934

Silveira EAA, Oliveira PP, Correio PM, Santos WJ, Rodrigues AB, Costa DARS. The care for chemically dependent: with words from health professional of centers of psychosocial on alcohol and drugs. J res: fundam care. 2016 abr/jun; 8(2):4347-64.

https://doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i2.4347-4364

Ferreira SE, Santos AKM, Okanoc AH, Goncalves BSB, Araújo JF. Efeitos agudos do exercício físico no tratamento da dependência química. Rev Bras Ciênc Esporte [Internet]. 2017 [acesso em 24 mar 2018];39(2):123-31. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbce/v39n2/0101-3289-rbce-39-02-0123.pdf

https://doi.org/10.1016/j.rbce.2016.01.016

Reis AC. Arteterapia: a Arte como Instrumento no Trabalho do Psicólogo. Psicol Ciênc Prof [Internet]. 2014 [acesso em 24 mar 2018]; 34 (1): 142-57. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932014000100011

https://doi.org/10.1590/S1414-98932014000100011

Morais AH, Roecker S, Salvagioni DAJ, Eler GJ. Significance of clay art therapy for psychiatric patients admitted in a day hospital. Invest educ enferm. 2014 apr; 32(1):128-38.

https://doi.org/10.17533/udea.iee.v32n1a15

PMid:25229912

Romanini M, Dias ACG, Pereira AS. Grupo de prevenção de recaídas como dispositivo para o tratamento da dependência química. Disc Scientia [Internet]. 2010 [acesso em 25 mar 2018]; 11(1): 115-32. Disponível em: https://www.periodicos.unifra.br/index.php/disciplinarumS/article/view/970

Pinho LB, Siniak DS, Silva AB, Araújo LB, Folador B. Funcionamento de um Centro de Atenção Psicossocial para o atendimento a usuários de crack. Rev Fund Care Online [Internet]. 2017 out/dez [acesso em 25 mar 2018]; 9(4):1099-106. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5893/pdf

https://doi.org/10.9789/2175-5361.2017.v9i4.1099-1106