Estimulação em idosos institucionalizados: efeitos da prática de atividades cognitivas Stimulation in institutionalized elderly people: effects of cognitive activity practice

Main Article Content

Alcides Viana de Lima neto
Vilani Medeiros de Araújo Nunes
Kamilla Sthefany Andrade de Oliveira
Lívia Maria de Azevedo
Gabriella Xavier Barbalho Mesquita

Resumo

Objetivo: Avaliar aspectos cognitivos em idosos institucionalizados antes e após a realização de atividades de estimulação cognitiva. Métodos: Trata-se de estudo quase-experimental, contemplando uma abordagem quantitativa. Foi realizado em uma instituição de longa permanência na cidade do Natal/RN com os idosos que atingiram o ponto de corte no instrumento de pesquisa Mini Exame do Estado Mental, que somam apenas 26% do total de residentes. Resultados: Após as atividades de estimulação percebeu-se que os idosos conseguiram manter ou aumentar a pontuação para os diversos aspectos avaliados. Foi comprovado pela análise estatística, utilizando o teste de Wilcoxon, que há diferença significativa entre os grupos antes e depois, dado pelo p-valor=0,027. Conclusão: Identificou-se que com a realização de atividades de estimulação cognitiva foram obtidas respostas que contribuíram com o aumento do escore do mini exame do estado mental. Descritores: Idoso, Institucionalização, Cognição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
de Lima neto AV, de Araújo Nunes VM, Andrade de Oliveira KS, de Azevedo LM, Barbalho Mesquita GX. Estimulação em idosos institucionalizados: efeitos da prática de atividades cognitivas Stimulation in institutionalized elderly people: effects of cognitive activity practice. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 11º de julho de 2017 [citado 28º de junho de 2022];9(3):753-9. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/5491
Seção
Research
Biografia do Autor

Alcides Viana de Lima neto, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeiro. Especialista em Gestão em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo.

Vilani Medeiros de Araújo Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Ciências da Saúde. Professora Adjunta do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Kamilla Sthefany Andrade de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Psicóloga. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Lívia Maria de Azevedo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Gabriella Xavier Barbalho Mesquita, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Nutricionista pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Plum Analytics

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)