Cateter central de inserção periférica: utilização no vale do paraíba paulista Peripherally inserted central catheter: the use in vale do paraíba paulista

Main Article Content

Camila Bomfim von Jakitsch
http://orcid.org/0000-0002-2530-7661
Denise Pereira de Lima Carvalho
Maria Belém Salazar Posso
Regimar Carla Machado
Vânia Maria Araújo Giaretta

Resumo

Objetivo: Verificar juntamente aos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde do Vale do Paraíba Paulista a utilização do cateter PICC, de que forma, desde quando o fazem e os profissionais envolvidos no processo. Métodos: Observacional, descritivo com abordagem quantitativa. Elaborou-se um questionário para coleta de dados e realizou-se pré-teste com três voluntários. A amostra constituiu-se de 10 instituições de saúde. Resultados: O Cateter PICC é utilizado por 70% da amostra que apresentou: uso de protocolos para todo o processo, investimento em treinamento para a equipe, controle de complicações, utilização do profissional enfermeiro para a inserção e remoção do dispositivo e ampla utilização em suas UTIs. A minoria utiliza a punção guiada por imagem para inserção do dispositivo. Conclusão: O PICC é amplamente utilizado desde o ano de 2005. A competência do enfermeiro habilitado é reconhecida, sendo este profissional o responsável pela atuação frente a este dispositivo. Descritores: Cateteres de Demora, Cateterismo Periférico, Enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
von Jakitsch CB, Carvalho DP de L, Posso MBS, Machado RC, Giaretta VMA. Cateter central de inserção periférica: utilização no vale do paraíba paulista Peripherally inserted central catheter: the use in vale do paraíba paulista. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 4º de abril de 2016 [citado 28º de setembro de 2022];8(2):4280-9. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/4354
Seção
Research
Biografia do Autor

Camila Bomfim von Jakitsch, UNICSUL - Universidade Cruzeiro do Sul

Enfermeira. Especialista em Enfermagem em Cuidados Intensivos com Ênfase em Cardiologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Cruzeiro do Sul. Taubaté/SP, Brasil.

Denise Pereira de Lima Carvalho, Docente do Curso de Especialização de Enfermagem em Cuidados Intensivos com Ênfase em Cardiologia Clínica e Cirúrgica da Universidade Cruzeiro do Sul. Taubaté/SP, Brasil.

Enfermeira. Mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade do Vale do Paraíba.Docente do Curso de Enfermagem da Fundação Universitária Vida Cristã Campus Pindamonhangaba/SP, Brasil.  Diretora administrativa da Alfa e Omega Assistência e Assessoria de Enfermagem.Taubaté/SP, Brasil.

Maria Belém Salazar Posso, Docente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Universidade do Vale do Paraíba. (UNIVAP)- São José dos Campos/SP, Brasil.

Enfermeira.Doutorado em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (1988).Professora titular aposentada da Universidade de Taubaté. Professora emérita da FMABC. Atualmente é professora do Instituto de Pesquisa e desenvolvimento da Universidade do Vale do Paraíba. Colaboradora na criação e implantação dos Cursos de Enfermagem da Universidade de Taubaté, da Faculdade de Enfermagem do Hospital Israelita Albert Einstein, UNESP-Botucatu, da FMABC. 

Regimar Carla Machado, Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de São Carlos. (UFSCAR) – São Carlos/SP, Brasil.

Enfermeira.Pós Doutorado em Cirurgia Translacional - UNIFESP / Estágio de Pesquisa no Hospital Universitari de Valencia - Espanha. Doutorado em Ciências/Programa de Cirurgia Cardiovascular - UNIFESP - 2010.

Vânia Maria Araújo Giaretta, Docente do Curso de Especialização em Enfermagem em Cuidados Intensivos com Ênfase em Cardiologia Clínica e Cirúrgica da Universidade Cruzeiro do Sul. Taubaté/SP, Brasil.

Enfermeira. Mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade do Vale do Paraíba.

Plum Analytics